Hospital Unimed Araçatuba é pioneiro em tratamento de linfoma

A primeira dose foi aplicada na quinta-feira (22)

O Hospital Unimed Araçatuba consolida-se como referência na área da saúde por ser o primeiro centro do Brasil a participar do programa de “Uso Compassivo”, que usa o medicamento Polatuzumabe Vedotin no tratamento da doença onco-hematológica, conhecida como linfoma (um tipo de câncer).

Esse novo recurso chegou ao município por meio do apoio à inovação médica do Hospital, a iniciativa do médico hematologista, doutor Márcio Rodrigo Domingos, e a parceria com o laboratório farmacêutico Roche que possui a patente do Polatuzumabe.

A droga, ainda sem registro na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), é indicada para os casos de linfoma difuso de grandes células B e poderá aumentar as chances de resposta e tempo de sobrevida dos pacientes, sem possibilidades terapêuticas para essa doença.

“Esse medicamento tem na sua combinação uma droga, que é a medicação efetiva, um anticorpo, que é o que vai identificar a célula doente e se ligar a ela, internalizando e depois rompendo essa conjugação. Assim, a medicação faz seu efeito na célula doente”, explica o médico hematologista.

 PRIMEIRO PACIENTE DO BRASIL

O paciente do Hospital Unimed Araçatuba, Fulvio Erik Sangalli, é o primeiro a ser beneficiado com o tratamento no Brasil. “Você ter acesso a esse tipo de tratamento, mesmo sendo uma linha de teste, representa um passo de esperança muito forte. Por tudo o que já passei, isso pra mim representa muito. Me sinto muito privilegiado. Tem milhares de pessoas pelo Brasil que têm essa a doença e eu sou o primeiro a receber (o tratamento). Tenho certeza que isso vai dar certo. E sendo Araçatuba a cidade que vai divulgar isso para todo o mundo, me sinto muito orgulhoso, feliz”, afirma o paciente.

Ele se enquadra no programa por atender alguns critérios: tem o linfoma difuso de grandes células B, é jovem e já foi submetido às três linhas de quimioterapia disponíveis. Apesar dos procedimentos adotados, a carga tumoral dele continuou resistente e com redução muito discreta.

No dia 22 de novembro de 2018, Fulvio passou pela primeira fase da intervenção medicamentosa.  “Ele já fez quimioterapia e não obteve retorno satisfatório. Agora, pode ter até 40% chances de resposta com o novo tratamento”, ressalta o doutor Márcio Rodrigo Domingos.

 USO COMPASSIVO

O Programa de “Uso Compassivo” consiste na disponibilização do novo medicamento para pacientes portadores de doenças debilitantes graves, que ameacem a vida ou sem alternativa terapêutica com produtos registrados no país; bem como pacientes e não participantes de outros programas e/ou ensaios clínicos, que estejam em processo de desenvolvimento clínico. Ao todo, são seis ciclos de medicamentos com um intervalo de três semanas (21 dias) cada. Dessa forma, a previsão para o término do tratamento de Fulvio Erik Sangalli é em 18 semanas.

“Para o paciente que não tinha muita perspectiva, é uma chance. Não podemos falar que é uma alternativa de cura, mas é uma esperança”, comenta o médico hematologista.

 COLETIVA DE IMPRENSA

Na sexta-feira (23), foi realizada uma coletiva de imprensa no Hospital com o doutor Márcio Rodrigo Domingos por causa do grande interesse da mídia. Compareceram o portal Mídia Interior, a emissora SBT Interior e os jornais Folha da Região e O Liberal Regional.

27 de novembro de 2018Unimed de Araçatuba